terça-feira, 18 de agosto de 2015

Olimpíadas 2016: E aí, Vão acontecer?

Gigantescas. Monumentais.Hercúleas. Colossais. Olímpicas.

Falta adjetivo para expressar a grandiosidade das obras na cidade do Rio de Janeiro para a realização dos Jogos Olímpicos 2016.

Mas o que está pronto? O que está faltando? Quais serão os custos e os benefícios de sediar os Jogos?


Com o intuito de discutir esses e outros desafios para o sucesso da Olimpíada no país, o Tribunal de Contas da União (TCU) realizou o “Diálogo Público: Desafios Para o Sucesso dos Jogos Olímpicos Rio 2016 – Realização e Legado”.

O evento, realizado quinta-feira (13) no Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ), reuniu representantes de diversos órgãos públicos e parceiros privados, como Tribunal de Contas do Município de Rio de Janeiro (TCM-RJ), Governo do Estado do Rio de Janeiro, Ministério do Turismo e Ministério das Relações Exteriores.

O Comitê Organizador dos Jogos apresentou dados das Olimpíadas e da sua organização para atender aos 15.350 atletas. Por dia, serão servidas cerca de 60 mil refeições, somando 210 toneladas diárias de alimentos. Além disso, as competições devem mobilizar cerca de 40 mil profissionais da imprensa. Também são esperados mais de 100 chefes de estados para acompanhar as competições.

Sobre os benefícios que serão deixados pelos Jogos, se destacam os projetos de preservação do Meio Ambiente e de melhora do desenvolvimento urbano e da mobilidade urbana, como a expansão e reforma da linha 4 do metrô até a Barra da Tijuca, a renovação da frota ferroviária e a criação de linhas de veículos leves sobre trilhos. Outros legados importantes são a criação de estruturas de lazer e práticas esportivas para a população, construção de escolas e incentivos para o desenvolvimento de programas esportivos no país.

Segundo a prefeitura do Rio, é esperado que as obras sejam entregues no prazo e dentro dos custos planejados. No diálogo, foi destacada a participação de recursos privados no orçamento dos Jogos, como as obras na Vila Olímpica, que está 95% concluída através da parceria público-privada (cerca de 60% dos recursos são privados).

Em resposta ao relatório do TCU sobre as Olimpíadas que apontou a falta de um Plano Nacional de Desporto, o ministro do esporte, George Hilton, informou que, em até 70 dias, enviará ao Congresso Nacional um projeto de lei para a criação do Sistema Nacional do Esporte. De acordo com o ministro, o Brasil está preparado para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos e conseguirá promover programas que incentivem jovens, adultos e idosos a praticarem atividades esportivas após o término das competições.

As olimpíadas oferecem uma oportunidade para superar desigualdades e dar mais um passo na promoção de uma sociedade mais justa e solidária.

Saiba mais.

Assista ao Programa #EuFiscalizo nº 8 e veja o que o TCU tem feito nesta área



Nenhum comentário:

Postar um comentário