quinta-feira, 19 de março de 2015

Você já olhou para o chão que está pisando?


Temos o hábito de caminhar pelo mundo e olharmos sempre à nossa volta. Mas esquecemos observar de algo fundamental para nossa sobrevivência: o solo. É certo que na maioria das vezes o chão que pisamos está  com alguma camada de cobertura (calçadas, asfaltos...) ou  é terra compactada, mas é por isso mesmo que devemos nos preocupar.

O solo é um recurso imprescindível para uma série de atividades fundamentais para a vida humana, como a produção de alimentos, de fibras e energia, a prestação de serviços ambientais, a sustentação da biodiversidade e a manutenção dos mananciais. Até mesmo a crise hídrica e energética que enfrentamos estão relacionadas ao seu uso. Apesar disso, de uma forma geral, o solo não está inserido nos debates relacionados a essas áreas.

A área de solos produtivos é limitada. Funciona como uma conta em dinheiro da qual sacamos a medida que precisamos usar. O problema é que se não fizermos depósitos regulares esta conta tende a se acabar. Hoje o uso do solo, é feito sem um debate e sem políticas de proteção. Assim, estima-se que até 2050, se nada for feito, metade do solo produtivo que hoje possuímos se tornará infértil.

Pensando nisso o Tribunal de Contas da União (TCU), em parceria com diversas instituições ligadas à temática dos solos, como a FAO, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, a Itaipu Binacional, o Ministério do Meio Ambiente, a Agência Nacional de Águas, a Sociedade Nacional da Agricultura e o Instituto para Estudos Avançados de Sustentabilidade, decidiu promover no País uma discussão profunda sobre os aspectos que se relacionam a governança dos solos e suas implicações em diversos setores.

Assim até o dia 27 de março de 2015, estão reunidos em Brasília especialistas, professores, Ongs e pessoas do mundo inteiro com interesse neste tema para debater sobre este tema.

Acesse o site do evento em http://www.governancadosolo.gov.br/ e veja mais detalhes sobre este debate.